bancas jurídicas

As grandes bancas jurídicas estão atrás de alta performance, mas será que elas estão preparadas para as exigências dos seus clientes?

Muito embora essas bancas possuam equipes preparadas para solucionar os processos e as ações do escritório, nem sempre essa qualidade é percebida pelos clientes.

A burocracia no atendimento prejudica o relacionamento com a banca jurídica, pois gera a incerteza sobre o que está sendo feito e sobre a celeridade dos resultados.

Segundo Amira Chammas, diretora jurídica do Grupo Formitex, ter um bom atendimento significa aliar três fatores básicos: agilidade, expertise e comprometimento.

Atitudes que diferenciam o atendimento das bancas jurídicas

Agilidade

A agilidade nas repostas e na prestação das informações encabeça a lista de qualidades requeridas. É um diferencial competitivo para muitos executivos. Dúvidas urgentes, que muitas vezes comprometerão um negócio, necessitam ser sanadas com imediatismo.

Além disso, estar a par das próximas estratégias faz com que o cliente sinta-se seguro. A confiança em relação aos profissionais contratados é fundamental para o bom relacionamento.

Isso se dá porque a maioria das bancas de advogados possuem clientes como bancos, telefonias, entre outros setores comerciais.

Nesses casos, um único cliente é o titular de uma carteira de mais de 1000 processos.

Por isso, a disponibilidade dos advogados é um fator decisivo para quem comanda carteiras com grande volume processual. Ser rápido nas respostas tornou-se um fator de qualidade e comprometimento com os problemas dos clientes.

O que acontece é que a maioria das bancas jurídicas, na ânsia de dar respostas e demonstrar proatividade, prestam um serviço acelerado e de baixa qualidade.

Muitos clientes referem que essa atitude interfere nos resultados buscados, já que as informações geralmente estão incompletas e geram mais dúvidas.

Na maioria dos casos, a falha do serviço está em atitudes simples, mas que são deixadas de lado, como:

  • atender ao telefone prontamente;
  • acusar o recebimento de um e-mail;
  • dar um retorno com o tempo que conseguirá resolver a situação e o grau de dificuldade.

Outro fator preponderante no que refere à agilidade são a quantidade de atrasos. Para que eles sejam aceitos, devem estar planejados. Do contrário, são inadmissíveis.

O advogado já trabalha baseado em prazos, por isso os atrasos devem ser previstos e comunicados. Mesmo que eles façam parte do “jeitinho brasileiro”, para os executivos são considerados uma falha grave na prestação do serviço.

Veja como melhorar a sua gestão:

Expertise

business do cliente deve ser o business das bancas jurídicas.

A expertise ultrapassa o conhecimento jurídico. Na realidade, muitas empresas salientam a necessidade de as bancas compreenderem o funcionamento do mercado de atuação dos clientes. Ainda, falam da importância de o advogado estar por dentro da cultura organizacional da empresa.

Isso quer dizer conhecer com profundidade os próximos passos que o mercado dará. Para que seja possível, o advogado precisa ter noção dos aspectos econômicos e políticos que envolverão seus clientes. Sabendo das condições que rodeiam o mercado do cliente, os advogados são capazes de entregar respostas assertivas, evitando atitudes protelatórias.

Os empresários de grandes empresas estão em uma batalha diária imposta pela competição de mercado. Muito embora a cultura brasileira seja no sentido de consultar o advogado quando os conflitos já estejam estabelecidos, cada vez mais as empresas estão optando por ter um atendimento consultivo.

A ideia principal é que o advogado sirva como apoio jurídico preventivo, a fim de que os conflitos nem cheguem a acontecer. Na maioria dos casos as perdas podem ser previstas, o que é uma vitória, considerando a amortização do impacto financeiro.

Assim, uma qualidade essencial é saber ouvir o cliente. A empatia com os problemas dos clientes reforça as qualidades de liderança do advogado.

Nesse sentido, a relevância do currículo acadêmico é um dos critérios para que o carreira do advogado seja um diferencial ao fechar um contrato com uma grande empresa. Porém, saber avaliar os talentos adicionais dos colaboradores é fundamental.

Existem advogados que naturalmente possuem a visão do mercado do cliente, mas existem outros que precisam se dedicar para entender as diferentes temáticas. Tanto um quanto o outro são valorizados pelos executivos, mas a escolha final cairá sobre aquele que melhor traduzir o mercado do cliente.

 

Comprometimento

Como a maioria das empresas depende das orientações jurídicas das bancas, o grau de comprometimento com os clientes deve ser elevado.

Na realidade, o advogado vira um consultor dos processos de administração das empresas, pois facilitará os acordos e analisará contratos e operações. Dessa forma, promove a segurança das transações comerciais, pois garante segurança e minimização dos prejuízos dos investidores.

Portanto, o cenário demanda o engajamento das bancas jurídicas, já que as responsabilidades são muito grandes e as tomadas de decisão dos empresários estão resguardadas pelas assessorias jurídicas prestadas.

Além de estar disponível, a dedicação do profissional diz respeito à eficácia na resolução das demandas. Independentemente da área de atuação da banca, se full-service ou especializado em um ramo único do direito, o profissional comprometido deve estudar o cenário e apontar a melhor solução para o caso.

Em uma outra perspectiva, o comprometimento também está relacionado ao primeiro atendimento e aos que se seguem. Muitas vezes as bancas prestam o melhor atendimento até fecharem os contratos. O que os executivos esperam são as mesmas posturas da reunião que determinou a contratação ou, pelo menos, a comunicação clara quanto à forma e procedimentos de atendimento.

É péssimo para a imagem de um advogado mostrar-se solícito e comprometido somente na primeira reunião. As empresas buscam essa solicitude e comprometimento em todos os atendimento futuros.

Ser comprometido quer dizer buscar os melhores resultados para os clientes, assim como estar disponível para novas perspectivas e mudanças de estratégias apontadas pelos clientes.

O ideal é que as bancas busquem a união das três aptidões

Os empresários não possuem tempo para esperar que os advogados reorganizem o seu processo de trabalho.

Por sua vez, boa parte das bancas jurídicas brasileiras atuam com um alto volume processual. Muitas delas possuem dificuldade no atendimento.  Logo, a pessoa responsável por atender um cliente deve ser aquela que melhor se encaixa nas três qualidades.

Por certo que o relacionamento entre cliente e advogado sempre deverá ser transparente, então o ideal é dar respostas claras e ágeis, a fim de que o contrato seja preservado.

 

e-book para bancas jurídicas

03 qualidades que destacam grandes bancas jurídicas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *