Entenda como a falta de boas práticas de gestão prejudica o Direito.

Entenda como a falta de boas práticas de gestão prejudica o Direito.

As boas práticas de gestão valem não apenas para as empresas que reconhecemos como renomadas, mas também para escritórios jurídicos como o seu, ou como o que você trabalha, por exemplo.

O problema é que, quando se trata de Direito, a maior parte das pessoas não reconhece (ou não entende) o que poderia fazer para melhorar o gerenciamento dos negócios. Essa falta de compreensão pode prejudicar demais os resultados que o seu escritório espera obter.

Estar atento às boas práticas de gestão pode ajudar no encontro de soluções funcionais, e talvez seja esse o diálogo que os advogados negligenciam, já que, para muitos, as questões do Direito envolvem mais o talento do que o gerenciamento.

Boas empresas têm dificuldade de se manter mesmo tendo ótimos funcionários e ideias bárbaras. O que faz a diferença é como o negócio é administrado. A seguir falaremos mais sobre isso.

Descubra as práticas mais funcionais para fazer o seu negócio ir mais além.

Escritórios jurídicos dependem sim de boas práticas de gestão, como já explicamos previamente. Não dá para pensar que empresas de Direito são diferentes em termos de funcionalidade.

A grande questão é que os negócios desse ramo têm uma série de fórmulas bastante específicas, fórmulas essas que servem para que eles trabalhem melhor ao longo do tempo.

Sendo assim, analisaremos abaixo as principais boas práticas de gestão dentro do Direito, para que o escritório jurídico que você tem (ou dos quais faz parte) se mantenha devidamente atualizado:

Defina uma área de atuação:

Um bom escritório não pode atirar para todos os lados. Definir um setor para trabalhar é fundamental. A perspectiva de estar em uma empresa que joga nas 11 pode ser interessante, mas o que funciona no Direito é a adoção de nichos específicos. Escolher um que tem a cara do seu negócio e abordá-lo é, com toda a certeza, o caminho mais acertado;[

Determine uma forma de captar clientes:

Nenhum negócio se mantém sem consumidores, e a ideia de que os clientes vão bater na porta do seu escritório só porque as pessoas da sua equipe são incríveis e maravilhosas é equivocada de muitas maneiras. É necessário, sim, encontrar uma maneira de atrair os clientes até a sua empresa, e elas estão disponíveis principalmente na internet, onde você está lendo esse texto;

Tenha mais cuidado com quem abraça a sua marca:

Um dos piores problemas quando estamos falando das boas práticas de gestão é que várias empresas do ramo são bastante descuidadas com os seus clientes e, quando o assunto são causas jurídicas, isso pode ser fatal. Dar mais atenção as pessoas que atendem o seu cliente e, logicamente, aos próprios clientes, é sempre uma decisão inteligente;

Cuide das finanças e da organização:

Nenhum escritório se mantém sem finanças bem equilibradas e uma organização clara e com processos bem definidos. Esses são os pilares das empresas modernas, que acabam funcionando também para a sua. É fundamental ter essa compreensão;

Como você deve ter percebido as boas práticas de gestão ajudam uma empresa de Direito a ser o que é de verdade, e não existem escritórios jurídicos que se mantenham bem fora dessa lógica. Aplique, portanto, as nossas dicas e veja aos poucos os melhores resultados se tornarem realidade de fato, mais cedo ou mais tarde.

Dito isto, leve em consideração a aquisição de um sistema de automação para escritórios jurídicos e organize de vez a sua vida profissional. A automação da sua rotina jurídica te permite, por exemplo, acompanhar, receber e ler intimações judiciais, acabando com o drama da burocracia e da perda de prazos.

A POL é a líder de mercado em checagem, entrega e gestão de intimações judiciais, sejam elas dos Diários de Justiça (DJe) ou dos Sistemas Eletrônicos dos Tribunais (EPROC, PROJUDI, PJE).

Portanto, se você ainda tem alguma dúvida que a advocacia mudou, acesse o site da Publicações Online e automatize de vez o seu escritório.

Deixe uma resposta